Por quanto tempo posso deixar meu bebê assistindo?

Pense na TV, no DVD ou em filmes e programas no YouTube como se fossem açúcar: você até deixa seu filhinho consumi-lo, mas com moderação. Ou seja, você precisará prestar atenção ao tempo que a criança passa em frente a uma tela. 

A tendência a ver TV cada vez mais cedo é inegável. Não há boas estatísticas para o Brasil, mas uma criança norte-americana, por exemplo, assiste a uma média de três a quatro horas de TV por dia, embora a Academia Americana de Pediatria recomende o máximo de duas horas por dia -- e nada de TV para os menores de 2 anos. 

Ser rigoroso com as regras desde o primeiro dia é a chave para manter o tempo de TV e filmes sob controle. É mais fácil flexibilizar as regras depois. 

Veja dicas para fazer da TV e dos filminhos um instrumento de aprendizado:

Controle o tempo

Se seu filho tiver menos de 2 anos, é melhor reduzir o tempo de TV ou filminhos ao mínimo, como 15 minutos por vez. Mais que isso, o cérebro do seu filho pode simplesmente passar para o piloto automático. 

Para os que já têm 2 anos, deixe-o assistir a programas ou filmes por até uma hora por dia -- mesmo uma hora já é muito para uma criança ativa. Não deixe o aparelho de TV no quarto da criança e mantenha-o desligado na hora das refeições. Também não deixe o reprodutor de filmes, smartphone ou tablet nas mãos do seu filho. Você é quem controla. 

Escolha os programas

Em vez de ligar a TV e assistir a qualquer coisa que estiver passando, selecione cuidadosamente o que seu filho vai ver e desligue quando o programa acabar. Se possível, deixe os programas gravados, para que a criança veja o que você gostaria que ela visse, na hora que você achar melhor. Programas buscados em DVD ou em arquivos de computador têm a vantagem de escapar das propagandas.

Avisá-la uns dois minutos antes que o programa (ou o trecho que você está deixando que ela assista) vai acabar dali a pouco também ajuda na transição para a próxima atividade. 

Prefira programas calmos e tranquilos

Programas mais lentos ajudam seu filho a ter tempo para pensar e absorver as informações que está vendo. Muita ação e cenas que mudam rápido demais vão confundi-lo. Alguns estudos sugerem que crianças que veem violência na TV podem se tornar mais agressivas. 

Fique longe de programas assustadores demais. Prefira os mais simples, que enfatizam a interatividade. Os melhores são aqueles que inspiram seu filho a dizer palavras, cantar e dançar. 

Assista à TV junto com seu filho

Um estudo recente trabalhou com três grupos: crianças com acesso ilimitado à TV, crianças com acesso moderado, que assistiam aos programas sem os pais, e crianças com acesso moderado que assistiam aos programas acompanhadas dos pais. 

O terceiro grupo -- crianças que viam TV com os pais -- saía-se melhor nos estudos que os outros grupos. Estar com seu filho passa a ele a mensagem de que o que é importante para ele é importante para você também. 

Claro que muitas vezes a gente acaba usando a TV ou o filminho como uma babá -- todo mundo faz isso quando precisa. Mas quando você deixa a criança vendo programas sozinha por muito tempo, mostra a ela que não se importa muito com o que ela assiste. Experimente pegar o cesto de roupas lavadas para separá-las na sala, ou invente alguma tarefa para fazer no lugar em que seu filho estiver, para ver o programa junto com ele. Assim, os dois podem aproveitar essa atividade. 

Também é legal ajudar seu filho a manter um "olhar crítico". Explique o que está aparecendo na tela, encoraje-o a fazer perguntas e ligue o que está acontecendo no programa com a vida dele. Se o programa for gravado, não tenha medo de usar o botão de "pausa" para ter tempo de conversar com seu filho sobre o que está passando na tela. Comente alguma coisa que não gostou, por exemplo. 

Na hora dos comerciais, ajude seu filho a entender a diferença entre eles e o programa em si. 

Amplie o conteúdo do programa com atividades e livros

Se vocês acabaram de ver um programa que apresentou os números, converse sobre isso ou ache outros exemplos para mostrar para ele. Quando colocar a mesa para o jantar, por exemplo, diga: "Ei, no programa de hoje tinha o número três, e há três pratos na mesa!". Também é uma boa ler e mostrar livros que exploram o conceito de números, ou das letras do alfabeto.

A TV pode servir também para reforçar a educação musical do seu filho. 
Postar um comentário