Cama compartilhada

Só quem tem filhos sabe o quanto é gostoso tirar uma sonequinha durante o dia, agarradinha com o bebê. É tão bom que muitas mamães adotam a prática conhecida como cama compartilhada também para o sono noturno.

Há pontos positivos?

Há muitas vantagens na prática, desde assegurar-se de que as necessidades físicas, emocionais e psicológicas do bebê estão sendo atendidas até garantir um pouco mais de sono noturno para a mãe. "Não se pode querer que um bebê que acabou de se desenvolver durante nove meses dentro do útero da mãe, em conexão e simbiose profundas, de um dia para o outro aprenda a confortar-se com tranquilidade em um ambiente distante e frio. Isso gera ansiedade e frustração para essa criança, que passa a encarar a hora do sono como um momento de desconexão e desespero"...

Torcida contra

Apesar de um enorme número de adeptos à cama compartilhada, existem muitas mães e especialistas que acham melhor, desde cedo, cada um ter o seu espaço. Mesmo se a casa tiver poucos quartos e se o cômodo for utilizado por várias pessoas, sempre se deve recomendar que cada um tenha o seu canto e que o bebê aprenda e sinta prazer em estar no seu lugar....
 O berço e o quarto do bebê são referenciais importantes. Ele percebe onde está e, se pudesse, diria: esse é o meu quarto! Um bebê pode estranhar quando se modifica o cômodo e desloca-se o berço do lugar original. Esse fato talvez comprove como é importante preservar o seu espaço, pois é o local onde ele se identifica e, muitas vezes se tranquiliza.

Como fica a intimidade?

Uma questão fundamental é que a decisão da cama compartilhada seja do casal. De nada adianta ser um desejo unilateral. Alguns casais simplesmente não conseguem entrar em consenso, o que pode trazer brigas desnecessárias. É preciso também que o casal entre em acordo quanto à relação sexual.
E esse é outro ponto que merece ser discutido no olho do furacão. Muitos dizem que a intimidade do casal fica prejudicada pela presença do bebê no quarto... Você acha que sim? Discordo. A casa tem outros cômodos, o dia tem 24 horas. É necessário usar a criatividade! O bebê vem para unir o casal e não para ser um motivo de afastamento.

Algumas orientações para praticar a cama compartilhada

• Certifique-se de que a cama é grande e firme (não use colchão d´água ou sofá) o bastante para acolher bebê, mamãe e papai. 
• A ordem deve ser essa mesma: bebê, mamãe e papai. O bebê deve dormir ao lado da mãe e nunca entre os pais.
• Tome precauções para que o bebê não caia da cama. No entanto, evite usar travesseiros fofos e almofadas, pois há risco de sufocamento.
• Se o seu cabelo for comprido, prenda-o.
• Não durma com roupas que tenham cordões e retire qualquer acessório.
• Nada melhor para o bebê que o cheiro da mãe. Por isso, não use perfumes.
• Por higiene e segurança, retire os animais de estimação do quarto.
• Jamais compartilhe a cama com seu bebê sob a influência de drogas, álcool, medicação para resfriado e alergia que não necessitam de receita médica para a compra ou se estiver extremamente privado do seu sono.
• Nunca coloque a criança para dormir sozinha em uma cama de adulto. Sempre deverá haver supervisão.

Beijos!
Postar um comentário